segunda-feira, 12 de junho de 2017

Mega Plus semi-novo, sem ar condicionado, da Transportes Paranapuan.

Fonte: http://www.grupobsg.org

A Transportes Paranapuan protagoniza um momento de reestruturação de sua frota, mas infelizmente vem investimento apenas na compra de ônibus semi-novos, e sem ar condicionado, o que a meu sentir, deveria ser vetado pela Prefeitura Municipal.

Desta vez a empresa comprou algumas unidades de Neobus Mega Plus, montados sobre chassis: OF-1721 da Mercedes-Benz, oriundos da Viação Verdun e da Transurb.

Premium Auto Ônibus passa a pertencer à Expresso Recreio.

Fonte parcial: http://ocdholding.com

A Expresso Recreio, empresa integrante do Grupo Guanabara, com participação societária da Expresso Pégaso, adquiriu a Premium Auto Ônibus, empresa que até então pertencia à Real Auto Ônibus.

Assim como a Recreio, a empresa comprada é atuante no transporte em linhas executivas, e integra simultaneamente os consórcios Transcarioca, Intersul e Internorte, operando linhas que inclusive atuam nos dois aeroportos da capital carioca.

Nesse fim de semana, os carros da Premium foram para a garagem da Recreio em Guaratiba para a preparação dos veículos para estrearem brevemente em algumas linhas da empresa como a 2329 e 2333. Serão 27 carros da Premium nas linhas da Recreio.

A Expresso Recreio, que comemorou na semana passada 3 anos de operações, é uma das empresas que mais se expande no estado do Rio. Com a aquisição da Premium, a empresa passa a ter a maior frota rodoviária entre as empresas do município do Rio de Janeiro.

Recentemente, por determinação do Detro, a empresa passou a operar suas primeiras linhas intermunicipais convencionais, oriundas da Expressa Mangaratiba.

IMG-20170612-WA0003
IMG-20170612-WA0001
IMG-20170612-WA0000

Linhas de ônibus da cidade do Rio voltarão a ser identificadas só por números.

Fonte: http://odia.ig.com.br

A atual forma de comunicação dos trajetos dos ônibus, que deixa muitos cariocas e turistas confusos, está com dias contados. Os nomes “troncal” e “integrada”, criados durante a chamada racionalização, implantada pela gestão passada da prefeitura, serão eliminados. A decisão será determinada em breve pela Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) em resolução. As linhas extintas, modificadas e criadas na ocasião também estão sendo revistas. Terão prioridade nesta revisão as que ligam a região da Penha e Olaria ao Centro, Rio Comprido e Zona Sul, que foram encurtadas ou extintas e alvos das maiores reclamações. 

Os resultados da revisão dos percursos serão entregues ao prefeito Marcelo Crivella ainda este mês e as datas das mudanças serão anunciadas posteriormente. Na tentativa de melhorar a comunicação ao passageiro, o letreiro principal dos coletivos passará a indicar o número e o destino da linha de forma fixa, sem ficar mudando a mensagem. Segundo a SMTR, o objetivo é não confundir o usuário, como vem acontecendo desde o início do reordenamento.

Muita gente não sabe, mas cada linha troncal e integrada possui um número correspondente, que vai aparecer no letreiro acompanhado do destino, sem as inscrições como ‘TRO1’ ou ‘TRO 02’. Os números terão três digitos e começam com 1, no caso das troncais e com 5, nas integradas. (veja os números correspondentes no quadro ao lado). Troncais são linhas que percorrem os principais corredores da cidade, como Aterro do Flamengo e Túnel Santa Bárbara. As integradas circulam entre a Zona Oeste e a Zona Sul.

As novas mudanças serão escalonadas em etapas de acordo com as alterações de linhas mais reclamadas. Uma das campeãs de queixas foi a redução do trajeto da antiga 484 (Olaria-Copacabana), que virou a 284 (Olaria-Centro). Agora, a prefeitura estuda qual o melhor itinerário para restabelecer essa ligação Olaria-Copacabana.

Diferentes bancos de dados são considerados para analisar as demandas dos usuários: pesquisas de quantidade de passageiros realizadas na época da reestruturação das linhas, ouvidoria, pesquisa nas ruas e mapeamento da movimentação dos sinais de celulares para observar deslocamentos da população.

Semanalmente, equipes itinerantes da pasta vão a pontos finais e terminais com maior movimentação de pessoas. Pesquisas registrando as demandas dos passageiros já foram realizadas em bairros das zonas Sul e Norte. Na quarta-feira, o vice-prefeito e secretário municipal de Transportes, Fernando Mac Dowell, foi à Penha ouvir a população no terminal de ônibus da Avenida Lobo Júnior, por onde circulam as linhas 483, 497 e 498, que seguem da Penha para Copacabana e Laranjeiras.

"Uma das premissas é melhorar a comunicação das mudanças para os usuários do serviço de ônibus, tendo em vista que uma das maiores reclamações diz respeito às mudanças demasiadamente rápidas, não dando chance para que a população acompanhasse o processo”, explicou o órgão em nota. A secretaria destaca ainda que se trata de um trabalho complexo, tendo em vista as mais de 450 linhas de ônibus da cidade, as modificações viárias do Centro e as dificuldades em compilar inúmeros dados com diversas variáveis em questão.

Durante a implantação do projeto de racionalização dos ônibus que cortam a Zona Sul, 25 linhas foram criadas, 26 modificadas e 51 extintas. O processo começou em outubro de 2015 e foi até o primeiro trimestre de 2016, seguido de ajustes operacionais. Cerca de 700 coletivos foram retirados das ruas, segundo a gestão anterior da prefeitura.

A chamada racionalização das linhas acumulou reclamações sobre o aumento da necessidade de baldeações, mas retirou ônibus das ruas e melhorou o trânsito, principal objetivo da mudança. Último balanço da SMTR de 2016 mostrou redução de 9,2% do volume diário de ônibus no BRS Nossa Senhora de Copacabana e de 15,6% na Barata Ribeiro.

No Centro, a queda foi ainda maior no eixo entre a Presidente Antônio Carlos e Primeiro de Março: 20,5%, com ganho de tempo de percurso de 22,8%. Ou seja, a velocidade média dos coletivos passou de 9,2 km/h para 11,3 km/h. Com isso, o veículo que antes levava 6 minutos e 37 segundos para atravessar o eixo Presidente Antônio Carlos-Primeiro de Março passou a levar 5 minutos e 20 segundos.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Desembargador derruba decisão que deferiu o reajuste da passagem de ônibus na cidade do Rio.

Notícia publicada em: http://www.tjrj.jus.br

O desembargador Edson Aguiar de Vasconcelos, da 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), suspendeu nesta quinta-feira, dia 1º, a liminar que autorizava o reajuste da tarifa modal do Bilhete Único Carioca de R$ 3,80 para R$ 3,95.

Os quatro consórcios que exploram as linhas de ônibus do município (Internorte, Intersul, Santa Cruz e Transcarioca) haviam obtido o reajuste no dia 25 de maio junto à 15ª Vara da Fazenda Pública do Rio, o que levou o município do Rio de Janeiro a apresentar o recurso.

“Defiro o pedido de concessão liminar de tutela recursal para determinar a imediata suspensão da decisão recorrida, a fim de que a tarifa do Serviço Público de Transportes por ônibus (SPPO) seja restabelecida no valor de R$ 3,80 (três reais e oitenta centavos), até decisão final deste recurso”, escreveu o magistrado.

Na decisão, o desembargador considerou que a concessão do reajuste causaria prejuízos irreparáveis os usuários de ônibus.

“Esta decisão não pode tardar, pois a majoração tarifária concedida pela decisão recorrida resultará irreversível para os usuários, os quais não terão reembolso do que vierem a pagar na hipótese de a ação proposta pelos autores for julgada improcedente a final”, justificou.

Agravo de Instrumento nº 0028213-21.2017.8.19.0000

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Liminar autoriza reajuste das passagens de ônibus no Rio para R$ 3,95.

Notícia publicada em: http://www.tjrj.jus.br/

A juíza Roseli Nalin, titular da 15ª Vara da Fazenda Pública do Rio, concedeu liminar autorizando o reajuste da tarifa modal do Bilhete Único Carioca para R$ 3,95. Na decisão, a magistrada destaca que a prefeitura não estava cumprindo o contrato de concessão firmado com os quatro consórcios que exploram as linhas de ônibus do município (Internorte, Intersul, Santa Cruz e Transcarioca), que previa o reajuste. A decisão tem caráter provisório e ainda cabe recurso.

“Concedo liminarmente a tutela de urgência deprecada na inicial para determinar ao município que cumpra o contrato de concessão, com a implementação do reajuste do valor da Tarifa modal do Bilhete Único Carioca - BUC para utilização no Serviço Público de Transporte de Passageiros por Ônibus do Município do Rio de Janeiro no valor de R$ 3,95 (três reais e noventa e cinco centavos), conforme decidido anteriormente pela Administração Municipal, a partir do décimo primeiro dia posterior ao da data de sua intimação”.

Ela também estabeleceu prazo de dez dias, para a prefeitura comunicar aos usuários e à população, antes da efetivação da cobrança da nova tarifa.

“Deve o Município informar aos usuários e à população acerca do valor reajustado da tarifa ao longo de 10 dias antes do início da sua efetiva cobrança, bem como informe que o aludido reajuste da tarifa está sub judice”.

A ação foi movida pelos quatro consórcios (Internorte, Intersul, Santa Cruz e Transcarioca), que alegaram que vêm sendo prejudicados pela conduta da prefeitura, através da ampliação na concessão de gratuidades, do congelamento do reajuste entre 2012 e 2014 e pela autorização de circulação de vans em itinerários coincidentes aos percorridos pelas linhas de ônibus.

“O reajuste de preços em conformidade com o que estabelece o contrato é medida de segurança jurídica e boa-fé da Administração, sendo sua omissão verdadeira revelação de certo desprezo com as regras estabelecidas, reduzindo artificialmente o valor da tarifa por intermédio da inércia e do congelamento do preço”, destacou a juíza na decisão.

A Prefeitura do Rio informou que recorrerá da decisão judicial assim que for notificada.

Processo No 0095493-06.2017.8.19.0001

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Marcopolo lança o Torino S, versão do New Torino.

Fonte: http://ocdholding.com/

A Marcopolo lança uma nova versão do seu modelo urbano de maior sucesso, o Torino S.

O produto foi desenvolvido ao longo de dois anos para garantir eficiência operacional, com manutenção simplificada, mais rápida, gerando menos custos, e os mesmos atributos de robustez e confiabilidade comuns a todas as outras versões do Torino, além de oferecer qualidade, conforto, segurança e maior espaço para os passageiros e motorista.
 
Segundo Paulo Corso, diretor de operações comerciais e marketing da Marcopolo, com a nova versão a empresa pretende colaborar para estimular e acelerar a renovação de frota no segmento urbano. “Desenvolvemos o Torino S, que representa Soluzione (solução, em italiano), produto que mantém todos os atributos da família Torino e que proporciona ao operador praticidade e facilidade de manutenção, redução no custo e no tempo de reparação e ergonomia e conforto para o condutor”, destaca.

O novo Torino S será produzido na fábrica da Marcopolo Rio, em Xerém. A expectativa da fabricante é comercializar mais de 1.000 unidades ao longo de 2017 e que a versão tenha uma expressiva participação do volume total de veículos dos modelos urbanos.

As áreas de marketing e engenharia da Marcopolo foram a campo, desde 2015, para levantar os principais pontos que poderiam ser otimizados, e tornar o Torino ainda mais eficiente e competitivo.  Em um momento tão agudo de crise econômica como o que o Brasil enfrenta, a nova versão pode estimular e colaborar para que o operador renove a sua frota e possa tornar sua operação ainda mais eficiente, mantendo os veículos em utilização por maior tempo, em razão de ter manutenção mais fácil, rápida e com custo reduzido.

“O foco do Torino S é a operação”, ressalta Paulo Corso. “Ampliamos os atributos de conforto, segurança, acessibilidade para passageiros, motorista e cobrador, e, ao mesmo tempo, adotamos conceitos práticos e eficazes para quem precisa manter o veículo sempre em operação”.

De acordo com Luciano Ricardo Resner, diretor de engenharia da Marcopolo, a nova versão foi desenvolvida com base no que os clientes desejam, com as principais informações transmitidas para a rede de representantes em todo o Brasil. “Nosso trabalho foi ampliar ainda mais a vocação do modelo para a aplicação pesada e contínua. Suas características de manutenção mais fácil, ágil e barata, vão permitir ao transportador manter o veículo maior tempo em operação e realizar quaisquer reparos da forma mais rápida”, enfatiza o executivo.
O Torino S reflete a ideia da Marcopolo em proporcionar o que os empresários almejam em termos de custo, facilidade de manutenção e redução do tempo parado em garagens para a realização de serviços. Ou seja, é o produto ideal para este momento de necessidade de redução de custos e também de ociosidade do produto.

A praticidade para o operador começa na oferta de configurações. São 24 diferentes configurações para os cinco principais modelos de chassis urbanos vendidos no Brasil, de 11.200 mm até 13.200 mm de comprimento. O novo Torino S será montado inicialmente em chassis Mercedes-Benz OF 1519, OF 1721 e OF 1721 L e os MAN VW 15.190 OD e VW 17.230 OD.

Externamente, o Torino S tem como diferenciais o design limpo e leve, com novos conjuntos ópticos dianteiro e traseiro. O novo vigia traseiro, com cantos menos salientes e arredondados, também dá mais leveza e modernidade ao ônibus. Com lâmpadas totalmente em LED e desenho redondo, os faróis e lanternas têm máxima eficiência luminosa e são facilmente intercambiáveis, reduzindo tempo e custo de manutenção e reparo.

Focando na rapidez e custo de reparação, a nova versão ganhou também saias laterais retas, aro de rodas em borracha e placa do veículo incorporada (não mais no para-choque traseiro), e vidros laterais intercambiáveis em um único tamanho. O veículo conta ainda com espelhos retrovisores mais modernos e eficientes, tomadas de ar de teto com novo formato e sistemas de fixação e vedação de fácil acesso e manuseio para os usuários. 

O resultado de todo o trabalho de marketing e engenharia da Marcopolo é a redução do tempo do veículo parado para manutenção, com serviços facilitados. Até mesmo os chicotes elétricos foram separados em dianteiro e traseiro, redesenhados e reposicionados, facilitando o acesso e a manutenção.

Internamente as mudanças também são significativas. Para o motorista, o posto de condução foi totalmente redesenhado para ampliar conforto, ergonomia e facilitar o acesso aos comandos. Ganhou console mais ergonômico, que proporciona maior espaço para pernas e para a sua movimentação. Também passou a contar com novas saídas de ar no painel, no teto e para as pernas, com ventilação mais forte e eficiente.

O novo posicionamento do condutor reduz o estresse causado ao longo da atividade e possibilita benefícios como a melhor ventilação, fácil acionamento dos controles e menor desgaste físico. Os itens de manutenção e a central elétrica também foram posicionados junto ao condutor para facilitar o seu controle.

O novo painel de instrumentos conta com teclas de comando do tipo IP66 (padrão europeu) e o seu projeto garante maior isolamento e vedação e facilita as operações de limpeza do veículo. Para aumentar o espaço para as pernas do motorista, o defroster foi instalado em novo local, sob o painel. A tampa superior interna frontal do itinerário foi redesenhada e permite o acesso ao equipamento pelo interior do ônibus.

Para tornar mais eficiente a operação dos veículos, a Marcopolo dedicou, no novo projeto, especial atenção à padronização de componentes. Com isto, conseguiu diminuir a necessidade de itens de reparo em estoque nas garagens.

Vidros laterais intercambiáveis, saias laterais retas, faróis redondos com lâmpadas de LED e as opções de chassis são alguns exemplos adotados para reduzir o tempo de entrega do carro. Segundo Luciano Resner, pelo novo conceito, a fabricante estabeleceu alguns projetos de veículos que vão diminuir o tempo de produção. “Analisamos os hábitos de compra dos principais clientes brasileiros e buscamos a padronização de componentes e opcionais, reduzindo em muito o tempo para fornecimento do produto. Este é, neste momento, um importante diferencial, pois faz com que o cliente coloque o novo veículo em operação mais cedo”, explica.

A padronização de componentes também possibilita a facilitação da manutenção e maior comodidade para os passageiros. A empresa desenvolveu uma nova tampa superior para acesso ao sistema de abertura das portas. Em ABS, em vez de fibra de vidro, permite acesso mais rápido, amplia sua vida útil e diminui possíveis ruídos decorrentes de vibrações geradas pelas irregularidades das ruas e avenidas, além de colaborar com o meio ambiente O sistema de abertura e fechamento das portas conta com nova estrutura e bandeja que ampliam a vida útil dos pistões de acionamento.

Novo sistema de limpador de para-brisa
A visibilidade é item crítico no trânsito urbano, ainda mais em dias de chuva. Para garantir a perfeita visão do motorista e a segurança dos passageiros, a Marcopolo desenvolveu um novo sistema de limpador de para-brisa, com melhor funcionamento e limpeza da área de visão. Os novos braços proporcionam maior pressão das palhetas sobre o vidro, limpando a área de maneira uniforme e completa.

Produção em linha dedicada
Para mais eficiência e produtividade na fabricação do novo Torino S, a Marcopolo projetou em sua operação em Xerém (Marcopolo Rio) uma linha exclusiva e dedicada, que possui algumas inovações e diferenciais em relação à linha onde são montados os demais modelos Torino.

Segundo Lusuir Grochot, diretor de operações industriais e melhoria contínua, a nova linha foi concebida de acordo com os princípios Lean e contou com a realização de um Kaizen 3P de ajuste da fábrica. “Foram identificadas todas as oportunidades de melhorias e um plano de ação foi gerado exclusivamente. Por ser dedicada à fabricação do modelo Torino S, a linha também recebeu pintura diferenciada na cor cinza claro”, destaca o executivo.

O balanceamento de produção está proposto para até 10 carrocerias por turno em uma única linha de montagem e a produção está pautada em indicadores, estruturados sobre os pilares de segurança, qualidade e produtividade.

 marcopolo_torinos_dianteira

 marcopolo_torinos_traseira

sábado, 29 de abril de 2017

Os Caio Apache Vip IV da Viação Mauá estão chegando!

Fonte: https://ocdholding.wordpress.com

Chegaram oito unidades desse lindo veículo na tradicionalíssima empresa gonçalense, entre eles o RJ 185.030, RJ 185.033, RJ 185.053 e RJ 185.064.

 
 

A imagem pode conter: ônibus, céu e atividades ao ar livreA imagem pode conter: atividades ao ar livre

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Manifestação do "povo" que prejudica somente o próprio povo!

É assim que devemos nos manifestar? 
É assim que vamos conseguir mudanças boas para o nosso país, para o nosso povo?
Esse vandalismo desenfreado que vem tomando conta de nossa população é inaceitável, é intolerável!
Enxerguem que queimar tantos ônibus como vem sendo feito nos últimos anos só prejudica os mais pobres, os que mais precisam desse meio de transporte.
Vamos dar um basta nessa baderna!
Vamos da um basta nesse vandalismo!

Vários ônibus incendiados no Centro da cidade do Rio de Janeiro, alguns dos quais, com menos de um mês de uso.

Foram destruídos veículos da:
Viação Vila Real
Viação Pavunense
Auto Viação Alpha
Auto Viação Jabour
Viação Nossa Senhora das Graças
Companhia de Ônibus Encontro - Coesa 

A imagem pode conter: atividades ao ar livre
 A imagem pode conter: ônibus e atividades ao ar livre
 A imagem pode conter: atividades ao ar livre
A imagem pode conter: atividades ao ar livre 
 A imagem pode conter: ônibus e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: carro e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre
 A imagem pode conter: pessoas sentadas e atividades ao ar livre
 Nenhum texto alternativo automático disponível.
A imagem pode conter: atividades ao ar livre
 A imagem pode conter: árvore e atividades ao ar livre
 A imagem pode conter: noite, campo de beisebol e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: atividades ao ar livre
 A imagem pode conter: ônibus, noite e atividades ao ar livre

Fonte das fotos: https://www.facebook.com/groups/1378678422431952/
Autor: https://www.facebook.com/wallace.velloso